obrigado por sua visita........ricardo

TODOS OS TEXTOS ANTERIORES ESTÃO EM ORDEM ALFABÉTICA NO LADO DIREITO - É SÓ CLICAR

terça-feira, 2 de junho de 2009

EM PONTO MORTO



EM PONTO MORTO

Carro ligado, motor funcionando, em ponto morto. Sentado atrás do volante o motorista espera. Espera. O tempo passa e a imobilidade começa a incomodar.
De forma automática engata a marcha e carro começa a se mover. Na primeira esquina descobre surpreso que não sabe pra onde ir.


“Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.” Oscar Wilde.


A maioria das pessoas ficam somando dias ao invés de somar vidas. Realizam suas tarefas de forma automática, vivendo vida requentada.


Já reparou que um bebê quando acordado e com os braços e pernas livres, normalmente está em constante movimento? Olhando, ainda sem nada ver a não se manchas e movimentos, está vivendo. Vivendo seu mundo de recém nascido, mas vivendo. Assim permanece ate que alguém interfere e tenta chamar sua atenção propondo nova atividade.


Gosto da imagem da criança sentada na areia da praia, sabendo-se rodeado da segurança dos pais ali perto e sentindo-se “dono do mundo”. Vivendo constrói castelos de areia, que a próxima onda pode desmanchar.


Mais adiante na escola começa a receber informações, conteúdos , regras, condutas que mais das vezes conflitam com algo que não sabe direito o que é mas que instintivamente sabe não ser aquilo que se está lhe sendo apresentado. Sente-se existindo e não vivendo e se não tiver um AMIGO não tem com quem conversar a respeito.


Crianças crescem seguindo formas, condicionamentos, por gente pessoas que não brinca, ensina. Gente que não seduz, informa. Gente que não ri, exige ordem. Gente “adulta”. Crescem educadas por pessoas que existem, não por pessoas que vivem. Daí a acontecer mais tarde de tempos em tempos ficarmos em PONTO MORTO. Motor ligado, sem saber pra onde ir. Quando então nem um vento nos será a favor. ( Sêneca 10 DC ).


Tenho uma conhecida bloqueira que trabalha ensinando a rir. JÁ PENSOU ? Aprender a rir novamente. Aprender a “conversar” novamente. Aprender a VIVER.


Não pare pra pensar. Continue andando e pense.


Vamos sair do Ponto Morto e VIVER, não somente existir.



RICARDO garopaba BLAUTH

6 comentários:

entremares disse...

Gostei do que escreveu.
E ainda vou ( se me permite ) acrescentar algo.

Sempre que você engatar a primeira, destravar o acarro e bater na parede, poderá sempre voltar a engatar a marcha-atrás e recomeçar tudo de novo. O ponto morto não é uma mundança, é só um tempo de mudança.

Fica bem.

RICARDO BLAUTH disse...

Alo entremares

Conselho aceito....
Obrigado pela vista

RICARDOgaropabaBLAUTH

Cöllyßry disse...

Que belo post, real,quanto tempo se perde nas indagações...


|)’’()
| Ö,)
|),”
|Doce beijo

ricardo blauth disse...

Visita bem vinda



RICARDOgaropabaBLAUTH

ellen disse...

Que interessante frase essa sua inicial... deu a sensação que se está a ser conduzida(o) ao lê-la :)

Um beijinho para si

ricardo blauth disse...

Alo Ellen

Obrigado pela visita
Já deu pra engatar um primeira
e começar a andar

outro para si também

RICARDOgaropabaBLAUTH